Rubens Lima

Um poeta que é apaixonado pelo que é e pelo que faz.

Textos


              13 DE MAIO DE 1888 




Meus filhos têm o dever

De nunca, nunca esquecer
Do dia treze de maio
De mil oitocentos e oitenta e oito.
 

O seu filho tem que saber
Dessa coisa que faz mal
Que um dia o ser humano
Tratou o outro desigual.
 

Nossos filhos têm que saber
Que todo homem nasce igual
Que alma não tem cor
E o preto é racional.


Que são poucos pretos doutores
Que os detentos são maioria
Nunca se viu um governante
Preto, no Estado da Bahia.
 

Vimos só um Senador
Deputado é ninharia
Vamos mudar essa história
Isso causa agonia.


Porque você se subestima?

E ainda se mantem calado
Aceitando quando artista
Só papel de empregado.
 

Fazem papel de bandidos
Ou então de favelados
Generais quase não vemos
Somos ainda escravizados.



 
Rubens Lima
Enviado por Rubens Lima em 13/05/2018
Alterado em 14/05/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site "www.rubenspoeta.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras