Rubens Lima

Um poeta que é apaixonado pelo que é e pelo que faz.

Textos


               FAUSTO



Ao nascer, deram-me o nome: Fausto.
Assim eu ouço todos me chamar.
Vacilei ontem, hoje não mais vacilo,
Foram tristes meus dias no exílio,
A minha história eu vou lhes contar.






Sendo humano um dia oscilei,
E no fundo do poço eu cheguei.
Lá de baixo, pra cima eu olhei,
Acreditando no sonho que sonhei,
Estou aqui,  me recuperei.





Dedilhando as cordas do meu violão,
Pude fazer nascer essa linda canção,
Fruto da mais profunda reflexão.
E se você não gosta de vacilo,
Ouça os acordes, dispense este grilo.
 


O que é felicidade pra você,
Pode ser o que eu não posso dizer.
Sei que você é maior e vacinado,
Mas se igualmente você tenha vacilado,
Talvez  
seu certo para mim,seja errado.
 


Olhar para trás, só no retrovisor,
Não deixe evaporar o que você sonhou.
Seja feliz em cada dia do ano,
Pois no DF130-2 , eu sempre estarei,
Com o mano Caio e o Cabo Adriano.

 
Rubens Lima
Enviado por Rubens Lima em 07/01/2018
Alterado em 11/03/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site "www.rubenspoeta.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras