Rubens Lima

Um poeta que é apaixonado pelo que é e pelo que faz.

Textos


               FAUSTO



Ao nascer, deram-me o nome de Fausto,
Assim eu ouço me chamar.
Vacilei ontem, hoje não mais vacilo,
Foram tristes meus dias no exílio,
A minha história eu vou lhes contar.






Sendo humano um dia oscilei
E no fundo do poço eu cheguei,
Lá de baixo, pra cima eu olhei,
Acreditando no sonho que sonhei;
Estou aqui,  me recuperei.





Com os acordes do meu violão,
Fiz pra você essa simples canção,
Para  tocar o seu coração
E se você não gosta de vacilo;
Ouça o acorde, dispense este grilo.
 


O que é felicidade pra você,
Pode ser o que eu não vou dizer.
Sei que você é maior e vacinado,
Mas se igualmente você tenha vacilado,
Talvez o 
seu certo para mim; seja errado.
 


Olhar para trás, só no retrovisor,
Não deixe evaporar o que sonhou,
Seja feliz em cada dia do ano
Pois no DF130-2 , eu serei
Com mano Caio e o Cabo Adriano.

 
Rubens Lima
Enviado por Rubens Lima em 07/01/2018
Alterado em 14/01/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site "www.rubenspoeta.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras