Rubens Lima

Um poeta que é apaixonado pelo que é e pelo que faz.

Textos



HOMENAGEM PÓSTUMAS
 
Capitão Thiago Matos de Carvalho

 
                 Por que os melhores vão embora?
      As vezes, para nós, meros mortais e egoístas por natureza é difícil entender a vontade do Senhor, principalmente quando perdemos um irmão de maneira tão inesperada como perdemos vc: 15. A única explicação que vem em mente é que Deus precisava do melhor comandando seu exército na luta eterna do bem contra o mal e o único capaz de realizar tão bem, tal missão seria você: Matos. Profissional exemplar, muito bom em tudo que se propunha a fazer ou em qualquer missão que lhe era dada. Montanhista habilidoso, negociador calculista e o combatente mais sereno que conheci até hoje. Mesmo com o mundo se acabando em "bala", mantinha-se calmo, buscando sempre fazer polícia dentro da técnica e da legalidade. Honrou com hombridade a nossa farda, amou e lutou pela nossa PMERJ, incansavelmente, dedicou toda a sua vida a combater o mal e fazer o bem ao próximo. Se pudesse citar a principal característica do meu irmão, seria a honradez. Esse seguiu firme no propósito de nosso turno: “A quem Deus deu o dom da honra, a desonra é pior que a morte”. Para aqueles que dizem que na Polícia Militar não existem homens honestos, está aí um ótimo exemplo. Confesso que a partir de hoje, me sinto mais inseguro, pois onde estará o meu canga de todas as horas? Como chegar na unidade e não te encontrar com seu sorriso largo e tranquilidade de sempre? Com quem pegarei conselhos tão sábios e equilibrados? Acredito que de onde está sempre estará zelando por nós. “Nunca envergonhemos nossa fé”, você irmão, sem dúvidas, era o homem mais temente a Deus que conheci e seguiu a sua Palavra na plenitude. “Nunca envergonhemos nossa família”: você foi um excelente filho e marido apaixonado, orgulho para todos os parentes. “Nunca envergonhemos nossos camaradas”: foi o maior privilégio combater ao seu lado, obrigado por ser esse exemplo para todos os seus pares, superiores e subordinados, a quem estava sempre disposto a ajudar.
O povo fluminense nem imagina a grande perda. Lógico, hoje o conceito de herói está totalmente deturpado, mas sem dúvida era assim que deveria ser tratado, mas sua humildade era superior a tudo e todos. Era capaz de estar exposto a tantas mazelas e se manter imune. Sem dúvida, era você quem melhor representava nossa essência de heróis anônimos. 

Vá na paz do Senhor Caveira 154, Operações Especiais."

 
CAVEIRA 152 - COESP/2008
       
O Capitão Thiago Matos de Carvalho (BOPE-PMERJ) Caveira 154 teve um mal súbito, na manhã do dia 26/02/2018 no interior de sua residência, infelizmente  veio a óbito.

 
ESPECIALIZAÇÕES
 
- Operações Especiais pelo BOPE PMERJ
-Guia de Montanha pelo Exército Brasileiro;
-Salvamento em Montanha pelo Corpo de Bombeiros Mlitar do Rio de Janeiro;
- Salto Livre pelo Corpo de Fuzileiros Navais;
-COT, pela polícia federal - Brasília-DF.


Por, BOPE/PMERJ.
 


Por Rubens Lima.

Ao meu saudoso Primo, Cap. Matos, o qual fora forjado para ser o melhor dos combatentes!


Você foi preparado para resistir à fome, ao frio, intempéries, frustrações, medo e tudo aquilo que corrói o psicológico e o físico de um ser humano no campo de batalha, onde sua vida está em risco, mas nós não fomos preparados para aceitar a sua ausência.
 
Você chegou ao limite da exaustão para se tornar um soldado de Operações Especiais, com a atribuição de defender a sociedade, se necessário com o sacrifício da própria vida, mas não nos ensinou, nem nos preparou para suportarmos a ausência da sua vida entre nós.
 
Cap. Matos, você conquistou por meio dos árduos cursos destinados para alguns, haja vista que nem todos conseguem, brevês e símbolo que nos faziam transbordar de orgulho, em especial por se tornar um Caveira de operações especiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Essas simbologias representam a vitória sobre a morte. Este é um dos conceitos que são pregados durante todo o curso, com o intuito de fazer o combatente aspirante à “caveira”, crer que é capaz de enfrentar a morte e sair vitorioso, como parte da filosofia que deve ser absorvida por sua personalidade para que seja capaz de cumprir as mais difíceis missões que lhes forem impostas. Nesse caso, não nos prepararam para suportarmos a sua temporária, porém, abrupta e prematura ausência. Talvez seja porque um Guerreiro de Operações Especiais nunca morre.

Na verdade, você será sempre lembrado, pois, você nunca se considerou um ser pior ou melhor, você era diferente, um guerreiro detentor de técnicas e preparo físico e focado nos ensinos e treinamentos que fortalecia sua "psique" por meio de simbologias (como a caveira) e outros artifícios como um vocabulário próprio, valores específicos que lhes dava a real sensação de fazer parte de uma família de membros selecionados nos mais rigorosos testes.

Você foi um soldado treinado em Operações Especiais tornando-se diferente dos demais, mesmo que apenas no psicológico – e isso faz toda a diferença.

Você, mesmo na condição de aspirante ao curso, já era um atleta, pois passou por uma seleção rigorosa, na qual sua capacidade física foi levada ao extremo.

Durante o curso, porém, toda essa capacidade tornou-se, apenas, um dos atributos requeridos. Fostes privado do sono, sentiu fome, fostes submetido a treinamentos intermináveis, terror psicológico e a necessidade de estar sempre alerta para o perigo; perigo que não lhe maculou, nem ceifou sua jovem vida, pois, você foi tão amado e especial que o Criador e Comandante Supremo o requereu quando estavas junto a sua amada e dentro do seu lar.


Valem em muito as técnicas para a hora do combate terreno (em meio a tiros e ameaças reais), porém, não nos prepararam para lhe dizer adeus de forma prematura, É por isso que ao contrário dos Caveiras Operações Especiais continuamos despreparados para a pior das situações sem que saibamos dizer adeus, e sim um até breve.
 
RUBENS LIMA

 
BOPE PMERJ
Enviado por Rubens Lima em 01/03/2018
Alterado em 06/03/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site "www.rubenspoeta.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras